A SEGUNDA ONDA E OS PROFETAS DO APOCALIPSE

Nessa semana a notícia da proximidade da vacina fez com que os Profetas do Apocalipse voltassem para as trevas. Entretanto com o crescimento dos casos de Covid-19 na Europa, EUA e aqui no Brasil, a chamada segunda onda logo os trará de volta e, a cada lockdown anunciado, aos poucos, eles voltarão a papagaiar o caos.

Num mundo cheio de facilidades, para qualquer um opinar sobre qualquer assunto usando as redes sociais, não são poucos os novos ditos especialistas que derramam previsões e análises, sem qualquer fundamento consistente.

O que de real existe sobre a segunda onda dessa pandemia? O que diferencia a situação hoje do que vivemos em Março?

A resposta nos parece muito simples, a experiência nos mostrou que o que realmente movimenta os mercados é a incerteza e a falta de previsibilidade. Nada incomoda mais do que não ter informação de como serão as coisas adiante. Foi isso que derrubou os mercados em março e abril e foi isso que trouxe uma volatilidade enorme aos mercados. Trata se de vivenciar a crença popular de que “mais vale um final horrível do que um terror sem fim” que traduzindo para linguagem do mercado seria dizer ser possível precificar um final horrível mas não um terror sem fim.

Em março, não conhecíamos nosso inimigo, o vírus da Covid-19, e o que se apresentava era assustador: um vírus altamente infeccioso, letal e sem tratamento comprovado ou vacina.

Hoje, depois de meses convivendo e pesquisando, temos protocolos de tratamento com altas taxas de sucesso e que reduziram muito a taxa de letalidade. Sabemos que certas atitudes diminuem muito o risco de contágio e finalmente a vacina é uma questão de semanas!

Bastante diferente o nível de previsibilidade nesses dois momentos e portanto, certamente, o impacto dessa segunda onda também deverá ser muito diferente.

Finalmente e não menos importante, as autoridades monetárias derramaram alguns trilhões de dólares nos mercados através de auxílio financeiro às pessoas, visando mitigar os efeitos da crise e se preparam para mais uma rodada trilionária de auxílio.

Estamos sim em plena segunda onda mas vamos manter os pés no chão. Os números serão maiores também porque a testagem hoje é significativamente maior, mas, agora, as coisas serão bem diferentes.

Cuidado com os profetas!

Seguimos otimistas!

Paulo Battistella Bueno
Paulo Battistella Bueno
Gestor/Sócio na Santa Fé Investimentos